Previous
Next
Previous
Next

Mangabeira faz 38 anos, conheça um pouco da história do bairro

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Mangabeira foi fundada em 23 de Abril de 1983, pelo Governador Wilson Braga, José Teotonio, Tarcisio Burity, Mário Andreaza, Ulisses Guimarães, dentre outros. O bairro tem 33 anos de Existência. Para orgulho dos seus moradores, que testemunham um grande crescimento econômico e social que vem acontecendo desde a sua criação.

Essa história começou exatamente em abril de 1983 com a entrega de 3.328 casas pelo então Governador Wilson Leite Braga, que deu continuidade a um Projeto Habitacional do seu antecessor Tarcisio de Miranda Burity (in memorian), naquela época sentindo a necessidade de suprir o déficit imobiliário, provocado pelo êxodo de muitas famílias oriundas dos quatro cantos do Estado para Capital, fugindo da seca e em busca de dias melhores, porém sem ter aonde se abrigar, resolveu construir o Conjunto habitacional Parque Residencial Tarcisio de Miranda Burity, denominado hoje de Mangabeira. No começo tudo foi muito difícil para os primeiros moradores do bairro, porque naquela época ventos navegavam contra a construção do Conjunto. Problemas como a distância para o centro da cidade, falta de infra-estrutura e até mesmo uma legislação municipal existente na época, determinando que o terreno fosse área de preservação ambiental, era motivo de empecilho para que essa realidade se concretizasse.

No inicio achavam que construir o bairro, seria a construção de uma grande favela em João Pessoa, por isso de tudo fizeram para evitá-la, jamais se imaginaria que aqueles primeiros milheiros de casas se tornaria num futuro tão próximo, no bairro mais promissor da Paraíba e que seu comércio e prestação de serviços passariam a ser uma solução e exemplo para as demais localidades da Capital, nascendo inclusive no local, uma estrutura digna de cidade. .

Entretanto, a história de Mangabeira é bem mais longa do que se imagina. No dia três de maio de 1934 e por 150.000$000 (cento e cinquenta conto de réis), aconteceu uma transação imobiliária envolvendo de um lado o Procurador da Fazenda João Santa Cruz de Oliveira, do outro, o procurador dos herdeiros, comendador Antonio dos Santos Coelho, que originou a compra do primeiro terreno pertencente a terra que hoje é o bairro. Esse imenso pedaço de terra adquirido se limita com a Praia da Penha pelo lado leste, já no lado oposto o limite é com Água Fria, Consta ainda uma posterior aquisição por parte do Estado de uma parte das terras que tinham ficado com os herdeiros(sitio Aratu), bem antes porém, o próprio Estado havia adquirido também o Sitio Mangabeira pertencente a Maria da Conceição Maia Coelho pelo valor de 300$ (trezentos contos de reis), onde hoje se encontra construída a maior parte das casas do bairro.

Devido ao grande porte e sua infra-estrutura Mangabeira se assemelha as grandes cidades do Estado da Paraíba. A avenida Josefa Taveira por exemplo, considerada a principal do bairro e com quase 6 Km de extensão, há muito perdeu o status de residencial, tornando-se um grande pólo comercial, atraindo inclusive, as grande redes de lojas de diversos setores comercial. Em sua economia o bairro é dotado de dezenas de farmácias, centenas de mercadinhos, feirinha, mercado público, além de lojas de móveis, calçados, eletrodomésticos, vestuários, Postos de gasolina e até Agências de automóveis e bancárias. Por sinal em se tratando de instituição de crédito o Banco do Brasil é pioneiro na localidade (1991) e um dos grandes responsáveis por esse crescimento econômico que vem acontecendo no bairro. Já dentro dos prestadores de serviços e autônomos e possível encontrar no bairro, inúmeros consultórios médicos e odontológicos, Imobiliárias, escritórios de advocacia e contabilidade,

além de uma boa quantidade de escolas tanto da rede pública e privada e ainda diversos Órgãos Públicos da Capital, como também Serviços Médicos e Hospitalares entre outros.

Mangabeira é hoje um dos grandes pólos de desenvolvimento da Capital. Sua potencialidade Política e econômica se explica pelos números de habitantes (150 mil aproximadamente), e de votantes em torno de 10 % do eleitorado da Cidade. Além disso, por se situar bem acima do nível do mar, tendo uma posição geográfica privilegiada, situando-se próxima da falésia do Cabo Branco, como das belas praias que compõem o litoral Sul do Estado, daí esse excelente clima usufruído pelos que moram no local. Mangabeira também é uma área plana que quase não sofre transtornos de inundações em épocas de chuvas. Por isso é bastante procurado, pelo clima saudável e conseqüentemente pela ótima qualidade de vida, que o bairro oferece. Flora Mangabeirense A vasta plantação de Mangaba que antes havia no local é que deu o nome de Mangabeira ao bairro, contudo esse fruto deixou de existir na localidade e o que se ver hoje é uma quantidade imensa de Mangueirais, Jambeiros e coqueiros espalhados na comunidade, além de um solitário Pé de Juazeiro nativo da seca medonha do sertão e plantado, não se sabe por quem, em frente ao Mercado Público de Mangabeira.

Lazer, Esporte, vida noturna e Costumes de Um Povo A população do bairro é bem servida na área do Lazer e do Esporte e de sua vida noturna. Hoje Mangabeira conta com um excelente local de concentração popular, que é a praça do Coqueiral, entregue no ano passado a população pelo Prefeito Ricardo Coutinho. O local é dotado de toda uma infra-estrutura capaz de atender todas as necessidades de lazer dos moradores que faz uso daquele logradouro público. Outras praças também compõem a opção de lazer dos mangabeirenses, como é o caso da Praça Cristo Rei e da Unimed. Já no Esporte os desportistas do bairro podem contar com as quadras de futsal e volley de areia do Coqueiral, pista de Skate, a quadra de futsal do Prosind, O Ginásio de Esportes Hermes Taurino, além do campo de futebol do Wilsão e também do campo de futebol do Mangabeira IV, entre outros. A vida noturna dos Mangabeirenses é bem distribuídos pelos diversos bares, pizzarias, churrascarias, restaurantes e sorveterias, além dos churrasquinhos e lanches existentes na esquina do Mercado Público e que começam a funcionar a partir das 17 horas.

Dentre os costumes da população, o Mangabeirense consegue provocar inveja em qualquer morador de outro bairro, porque se durante o dia suas principais Avenidas vive um clima de agitação de cidade grande causado pelo intenso comércio do local e ofertas diversas, mantendo os consumidores na própria comunidade, por outro lado, durante a noite as coisas mudam de figura e o que se pode observar pelas ruas do bairro, principalmente naquelas formadas em quase sua totalidade por residências, são grupos de pessoas em conversa reunidas entre familiares e vizinhos, sentados em frente as suas residências e que por muitas das vezes o papo se estende até de madrugada adentro, principalmente quando acontece noite de lua cheia e céu estrelado, demonstrando com isso que em Mangabeira há ainda uma segurança relativa e que diferentemente de outros bairros, os moradores da comunidade não precisam viver trancafiados em suas casas. Isso é apenas uma pequena amostra do que esse tão cobiçado Bairro pode oferecer aos seus habitantes.