Previous
Next
Previous
Next

Anitta lança ‘Faking Love’ e diz que sua carreira internacional ‘já deu certo’

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Anitta se sente realizada com a carreira internacional, apesar de saber que ainda existe um caminho pela frente. Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira, 15, a cantora falou sobre a volta ao estilo musical, com uma pegada mais ‘melody’, com o single Faking Love.

“Faking Love é um funk na pegada de quando comecei minha carreira, um funk ‘medoly’, bem pop. É como se eu tivesse começando novamente minha carreira musical”, avalia.

O single do feat com a americana Saweetie foi lançado na quinta, 14, mesmo dia em que Adele divulgou nova canção de trabalho. Porém, isso não intimidou a brasileira.

“Minha música entrou logo depois da Adele e eu achei foi ótimo, foi uma baita divulgação no fim das contas. Não tenho medo de artista não, gente! Ninguém vai ficar escutando o mesmo artista 24h por dia. Dá pra me ouvir um pouco, ela também. Temos públicos diferentes e tá tudo bem. Não dou pra trás não”, afirmou.

Neste single, que é o terceiro do álbum, Anitta pretende apresentar um pouco mais do seu próprio estilo aos americanos. “São doses homeopáticas até eu chegar a minha identidade de verdade (sobre a volta ao funk com ‘Faking Love’). ‘Girl From Rio’ foi muito bem no rádio, então, já dá para apresentar algo diferente. A gente achou que era um bom momento para inserir minha cultura agora (nos EUA), aquele funk mesmo do início da minha carreira”, disse.

A próxima música de Anitta será em inglês e não terá feat. “A ideia é ter muito material em inglês para as pessoas me conhecerem, me identificarem como artista”, acrescenta. Em novembro e dezembro, a cantora pretende lançar mais canções dançantes: “Gente, eu vou dançar muito! Estou malhando igual uma louca”, brinca.

Sobre a carreira nos Estados Unidos, ela admitiu que tem investido mais em letras em inglês e que se considera uma ‘novata’. “É um novo início total. O sentimento é o mesmo de começo de carreira no Brasil. Tem vários perrengues e a gente finge que nada aconteceu, sorri e pronto. E é assim que vou chegando nos lugares onde cheguei. Aqui tenho que me portar como uma iniciante que sou. E para mim é importante saber também que sou grande no Brasil”, reflete.

Correio Braziliense