Previous
Next
Previous
Next

Audi A6 E-Tron: modelo elétrico impressiona por carregamento ultrarrápido

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

A Audi aproveitou o Salão de Xangai, na China, como palco para divulgar sua próxima criação, o novíssimo A6 e-tron. O modelo elétrico inicia uma nova fase na companhia e chama atenção pelo design futurista, além de ter um carregamento ultrarrápido. O veículo deve chegar às ruas entre 2022 e 2023, sem data definida.

O carro-conceito totalmente elétrico é o primeiro produto da fabricante alemã sobre a nova plataforma para elétricos (EVs) do grupo Volkswagen, a Premium Platform Electric (PPE), desenvolvida em parceria com a Porsche e que será utilizada inicialmente apenas pelas duas marcas para produzir veículos voltados à “mobilidade urbana do futuro”, desde modelos SUVs até sedãs.

Além do conceito e do anúncio do A6 e-tron, a empresa anunciou que a atual geração do A6 é a última a combustão, mas confirmou que os modelos a combustão e elétricos irão conviver juntos “ainda por certo tempo no mercado”.

E não há meio de começar a falar do A6 e-tron sem destacar o estilo e o design futurista. A silhueta com queda acentuada do teto na traseira (que se assemelha muito a um cupê) é aliada aos faróis estreitos com máscara negra, que dão um ar meio esportivo ao sedã, cuja única semelhança com o A6 atual são as dimensões: 4,96 metros de comprimento, 1,96 m de largura e 1,44 m de altura. “Mais que um exercício de design é uma amostra dos futuros modelos de produção da Audi”, afirmou a marca no anúncio.

Quanto à eletrificação, o A6 e-tron usa dois motores elétricos, um em cada eixo (dianteiro e traseiro), o que permite entregar 450 cv e torque de absurdos 81,5 mkgf, com sistema de tração integral Quattro. A Audi promete que nas variantes mais básicas, o A6 e-tron será capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em menos de sete segundos e, nas versões mais potentes, abaixo dos quatro segundos.

E com robustos 700 km de autonomia estimada (com base no padrão europeu WLTP), o sedã elétrico ainda será capaz de atingir de 5% a 80% de carga na bateria de 100 kWh em apenas 25 minutos graças ao carregamento ultrarrápido. Ou seja, comm apenas 10 minutos, o carro conseguirá atingir 300 km de autonomia.

Para o futuro, a Audi diz que promete desenvolver modelos da família e-tron que, mais básicos, terão um único motor elétrico montado no eixo traseiro.

Tecnologia na aerodinâmica, iluminação e até na pintura

O A6 e-tron registra coeficiente de arrasto de apenas 0,22 Cx. Na prática, essa resistência aerodinâmica mínima sugere que o veículo terá menor consumo de energia e, portanto, mais alcance.

Outro destaque para a aposta da Audi é com certeza os faróis digitais Matrix LED, que oferecem ampla gama de recursos aliados à tecnologia digital OLED. Na dianteira, eles podem trabalhar em micropontos distintos, acendendo ou apagando conforme a necessidade e evitando ofuscar carros á frente ou no sentido oposto.

O modelo também inova nas lanternas traseiras com tecnologia de LEDs orgânicos. A faixa na qual estão dispostos os diodos é configurável ao gosto do cliente em termos de como as luzes serão mostradas, podendo até servir como um display de mensagens.

Entre outras tecnologias, o A6 e-tron vai utilizar os OLEDs para projetar sinais de alerta no asfalto e nas laterais do carro. Isso pode evitar acidentes com motociclistas, por exemplo, amplicando a capacidade de ver se um carro irá virar a esquerda ou a direita.

Tudo foi pensado, segundo a Audi, para deixar o A6 e-tron mais eficiente, incluindo na tinta do veículo. O modelo usa uma técnica de pintura chamada de Heliosilver, que ajuda no consumo e na eficiência energética, pois reflete uma porção significante da radiação térmica sobre o carro.

E tudo isso com o objetivo de reter menos calor dentro a cabine. A Audi entende que, assim, os ocupantes precisarão utilizar menos o ar-condicionado, o que ajuda a melhorar a estimativa de consumo.

Audi A6 E-tron. Imagem: Audi/Divulgação
Imagem: Audi/Divulgação
Fonte: InsideEVs