Previous
Next
Previous
Next

Botafogo-PB sofre sete baixas, mas presidente diz ter pelo menos 15 nomes confirmados para 2021

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Como é de praxe em momentos de transição entre duas temporadas, muitos clubes de futebol no Brasil estão vivendo reformulações em seus elencos. No Botafogo-PB, o 2021 começa após várias baixas em seu plantel, com saídas de peças importantes. Segundo o presidente do clube, Alexandre Cavalcanti, após confirmadas essas perdas e encaminhadas algumas contratações e permanências, são pelo menos 15 os jogadores já confirmados para vestir a camisa alvinegra ao longo deste novo ano.

Já são sete os atletas que defenderam o Botafogo-PB em 2020 e já foram anunciados em seus novos clubes para 2021. Quatro deles vão atuar pelo Santo André nesta temporada: o lateral-direito Marcos Martins e o zagueiro Rodrigo foram os primeiros a confirmarem as saídas, depois o volante Vitinho e o atacante Ramon também acertaram com o time paulista. Além deles, o lateral-esquerdo Christianno voltou para o América-RJ, onde já vai disputar a Seletiva do Carioca 2021, o zagueiro Luis Gustavo vai vestir a camisa da Inter de Limeira no Campeonato Paulista e, por fim, o também zagueiro Donato se transferiu para a URT.

De acordo com Alexandre Cavalcanti – que, ainda em 2020, logo depois de ser eleito, viu o time cumprir os objetivos de evitar o rebaixamento na Série C do Brasileiro e garantir vaga na fase de grupos da Copa do Nordeste de 2021 -, 11 novos contratados devem desembarcar na Maravilha do Contorno para esta nova temporada.

– Já temos 11 jogadores com pré-contratos. Desse elenco antigo, temos, hoje, quatro jogadores com contrato conosco. A preço de hoje, temos 15 atletas – explicou Alexandre.
O presidente botafoguense, no entanto, manteve os nomes dos iminentes novos contratados em sigilo, preferindo só revelá-los quando tudo estiver devidamente acertado. O que se sabe é que os quatro atletas que seguem vinculados ao clube são o zagueiro Fred, o volante Rogério, o meia Marcos Aurélio e o meia Everton Heleno. Everton Heleno, aliás, que tem vínculo com o clube até maio, falou com o ge Paraíba e festejou ter encerrado o ano em alta no elenco e já projeta um 2021 vencedor.

– Foi uma temporada muito positiva para mim individualmente. Pude ter sequência em diversos momentos da temporada e acredito ter ido bem. Trabalhei muito para honrar a camisa do Botafogo-PB do início ao fim e estou feliz com isso. Voltar a jogar e em alto nível foi muito importante para mim. Estou muito feliz. O clube já está se preparando para a próxima temporada, que tem tudo para ser intensa. Vamos lutar muito para fazer um ano de conquistas em 2021 – comentou Everton Heleno.

Internamente, a diretoria botafoguense trabalha tanto na aquisição de novos jogadores como também na renovação com alguns nomes, dois dos quais parecem ser prioridades: o técnico Evaristo Piza e o goleiro Felipe.

A situação do treinador se mostra mais tranquila, já que ambos os lados dessa negociação já demonstraram interesse em dar sequência à relação. Piza, aliás, foi a primeira medida da nova diretoria, que, tão logo foi eleita, já acertou o retorno do técnico à Maravilha do Contorno. Foi sob o seu comando que o Botafogo-PB evitou a queda para a Série D e também carimbou a vaga à fase de grupos da Copa do Nordeste de 2021.

Já quanto a Felipe – um dos principais nomes do elenco botafoguense na temporada 2020 -, o interesse também parece existir de ambas as partes. O goleiro já manifestou sua intenção em permanecer no Belo, e a tendência é que diretoria e atleta se acertem nos próximos dias.

Depois de uma conturbadíssima temporada 2020 – caótica por conta da pandemia do novo coronavírus -, na qual o Botafogo-PB ficou sem conquistas dentro de campo, vem aí um ano com pelo menos duas competições para o Alvinegro da Estrela Vermelha: Copa do Nordeste e Série C do Brasileiro. O Campeonato Paraibano, por ora, segue suspenso depois que todos os demais clubes da elite – menos o Belo – assinaram um documento no qual alegam insuficiência financeira para disputar a competição.

ge