Previous
Next
Previous
Next

CBF detalha uso do VAR e divulga primeira competição no Brasil com essa tecnologia

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Após ser uma das ‘febres’ da Copa do Mundo na Rússia, o VAR (termo em inglês para o árbitro de vídeo) finalmente foi confirmada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que aprovou o uso da tecnologia para a fase de quartas de final, que começa na próxima quarta-feira, e nos estágios seguintes da Copa do Brasil.

Em sua sede na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, a CBF, representada por Manoel Serapião, coordenador do sistema de árbitro de vídeo no Brasil, Ricardo Bretas, gerente de planejamento da tecnologia no país, e Sérgio Correa, presidente da comissão de arbitragem, explicou como o VAR vai funcionar na principal competição de cunho eliminatório do país.

O VAR havia sido cogitado no começo do ano, para os duelos do Campeonato Brasileiro, mas a CBF não quis arcar com os custos do equipamento e tentou encaminhar essa questão financeira aos clubes, mas a maioria também não quis pagar o valor (50 mil reais por jogo, de acordo com o órgão responsável pelo futebol no país).

Sérgio Correa explicou que terão entre 14 e 16 câmeras por jogo – bem longe do número da Copa do Mundo, que era entre 33 e 35 equipamentos – e que as imagens serão as mesmas das transmissões de Globo e Fox Sports, as duas empresas responsáveis pelos direitos de transmissão da competição, o que respeita ao protocolo da Fifa.

– Vamos utilizar 14, 15 ou 16 câmeras. São duas empresas, Globo e Fox. É bom esclarecer que com sete câmeras, já teremos 95% de todos os lances. Uma situação especial, uma mão escondida. Nós vamos recorrer a todas todas as imagens disponíveis. Temos solução para todos os lances – afirmou.

Algo que ainda gera muita dúvida são as situações que o árbitro de vídeo pode inteferir. Serapião deixou claro que o VAR age em situações capitais de um jogo, as que envolvem gols e cartões e não em qualquer lance que pode acontecer dentro das quatro linhas.

– Há limites. Todas as situações de gol, pênaltis, cartão vermelho e erro de identidade na aplicação do cartão ao jogador são para revisão. O árbitro de vídeo vai checar isso sempre. O que se busca corrigir são erros históricos. Em tiro de meta, lateral, por exemplo, o árbitro de vídeo não interfere – disse.

Sérgio Correa, por sua vez, mostra muita confiança sobre a entrada da tecnologia no país e está confiante em uma grande porcentagem de acertos nos lances. Essa será a primeira aparição do VAR em uma competição de cunho nacional no Brasil.

– Teremos 14 jogos, com grande possibilidade de chegar a 98,8% de acerto nos lances, contra 93% sem o VAR – afirmou.

O coordenador de arbitragem e do VAR no Brasil ainda completou, falando sobre a possibilidade da tecnologia entrar no Campeonato Brasileiro no futuro, se mostrando otimista sobre essa possibilidade.

– O planejamento da CBF está pronto para qualquer competição. Vamos trabalhar sempre pelo “sim”, para ter o VAR nas competições da CBF. Estamos trabalhando pelo sim. Se vier o “não”, continuaremos preparados, porque o VAR virá – completou.

A CBF também confirmou a escala dos árbitros de vídeo para as partidas entre Corinthians e Chapecoense, Grêmio e Flamengo, Bahia e Palmeiras e Santos e Cruzeiro. Confira a relação:

Santos x Cruzeiro – 01/08 – Vila Belmiro – 19h30
Árbitro de vídeo: Bráulio da Silva Machado
Auxílio: Helton Nunes e Marcelo de Lima Henrique

Corinthians x Chapecoense – 01/08 – Arena Corinthians – 21h45
Árbitro de vídeo: Péricles Cortez
Auxílio: Bruno Boschilia e Dewson Freitas

Grêmio x Flamengo – 01/08 – Arena do Grêmio – 21h45
Árbitro de vídeo: Rafael Traci
Auxílio: Alex Ang Ribeiro e Luiz Flavio de Oliveira

Bahia x Palmeiras – 02/08 – Arena Fonte Nova – 19h15
Árbitro de vídeo: Leandro Vuaden
Auxílio: Ivan Bohn e Rodolpho Toski

 

Fonte. Terra.com