Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next

Confira as modalidades esportivas que as mulheres dominam no Brasil

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

1 –Ginástica Rítmica

Muito popular entre as mulheres, a Ginástica Rítmica é um dos esportes praticados exclusivamente por elas a nível de competição. Com movimentos de balé e dança teatral, que exigem leveza, flexibilidade, harmonia, entre outros requisitos, é executado por maestria por ginastas do mundo todo que produzem belos espetáculos acompanhados por música. Presente nas Olimpíadas, tem a Rússia como país com maior número de medalhas conquistadas, 10 ao todo, sendo seis de ouro. O Brasil se destaca a nível continental e busca evoluir para garantir sua primeira medalha em Jogos Olímpicos na modalidade.

2 – Nado Sincronizado

Outro esporte que é praticado apenas por mulheres em nível Olímpico, o Nado Sincronizado ou Natação Artística é um esporte de grande complexidade e que exige muito das atletas que o praticam. Misturando ginástica, dança e natação, a modalidade necessita de força, resistência, precisão e ao mesmo tempo leveza, carisma, habilidade e entrosamento.

Praticado nas categorias equipe e dueto, este esporte exige que os membros executem com perfeição e simultaneamente movimentos de coreografias ensaiadas com base em músicas que podem ser ouvidas pelas nadadoras por meio de alto-falantes especiais instalados no interior das piscinas. Na Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016, a Rússia faturou o ouro em ambas as categorias,

3 – Ginástica Artística

Crédito: CBG facebook oficial
Um dos esportes mais antigos praticados pelo ser humano, a Ginástica Artística surgiu como prática exclusivamente masculina, tanto que as mulheres só puderam disputar os Jogos Olímpicos por esta modalidade em 1928. Com o passar dos anos, este esporte passou a atrair mais as atletas femininas, que se especializaram e consolidaram-se como referência nas mais diversas competições, chamando a atenção de espectadores do mundo todo.

A Ginástica Artística pode ser praticada individualmente ou por equipes, nas provas de: solo, trave de equilíbrio, paralelas assimétricas e salto sobre a mesa (isso para as competidoras do feminino). A primeira nota 10 da modalidade foi de uma mulher: Nadia Comaneci, aos 14 anos, conquistou os jurados com uma apresentação perfeita nas Olimpíadas de Montreal em 1976.

No Brasil, o esporte se popularizou com nomes como Daiane dos Santos e Daniele Hypólito, e atualmente tem como estrelas Jade Barbosa, Flávia Saraiva, entre outras atletas.

4 – Handebol

Crédito: Conferência Brasileira de Handebol
Criado em 1919 e antes praticado ao ar livre em gramados, o Handebol surgiu como uma modalidade exclusiva das mulheres. Apesar da inserção e evolução masculina neste esporte, o nível e prestígio dos jogos do feminino continuam sendo superiores. O jogo dinâmico, intenso e de força e estratégia segue ganhando espaço no Brasil, mas ainda não alcançou a popularidade de outros esportes aqui praticados.

A Seleção Brasileira Feminina de Handebol coleciona diversas conquistas expressivas, como cinco Pan-Americanos seguidos, um quinto lugar nas Olimpíadas do Rio em 2016 e seu maior título, a Copa do Mundo de 2013 de forma invicta. Atualmente ocupa a 16ª posição no ranking mundial.

5 – Hipismo

Única modalidade em que homens e mulheres disputam uns contra os outros nas mesmas categorias, o Hipismo tem se notabilizado pelo crescimento feminino no esporte. Antes disputada apenas por homens, a modalidade teve uma ascensão meteórica das mulheres, que passaram a figurar o pódio constantemente em todas as categorias.

Um exemplo prático foi o desempenho das amazonas nas Olimpíadas do Rio em 2016, conquistando ao todo 17 medalhas, com direito a “trinca” de mulheres com ouro, prata e bronze em uma das provas disputadas.

Logicamente muitas outras modalidades em que as mulheres se destacam e dominam caberiam nesta lista, porém fica a menção a estas principais. A tendência, muito justa e satisfatória, por sinal, é que as mulheres tenham supremacia e igualdade em cada vez mais esportes, merecidamente, como resultado de toda sua luta e talento.

Fonte: Lance!