Previous
Next
Previous
Next

É do Nordeste! Ítalo Ferreira conquista o primeiro ouro do Brasil nas Olimpíadas

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

O brasileiro Ítalo Ferreira tirou onda, ou melhor, dominou as ondas na Praia de Tsurigasaki, onde ocorreram as disputas do surfe na Olimpíada de Tóquio (Japão). O potiguar conquistou na madrugada desta terça-feira (27) a primeira medalha de ouro do surfe, modalidade estreante nos Jogos Olímpicos. Atual campeão mundial, Ítalo dominou a final contra o japonês Kanoa Igarashi, vencendo por 15.14 a 6.6. A medalha de bronze ficou com o australiano Owen Wright, que venceu o brasileiro Gabriel Medina por 11.97 a 11.77 na disputa pelo pódio.

“Muito feliz. Foi um dia incrível, especial, trabalhei muito para isso e acreditei. É incrível.”, disse Ítalo ao site do Comitê Olímpico Brasileiro (COB)

Moradores de Baía Formosa (RN), cidade Natal do campeão, comemoraram o primeiro ouro para o país em Tóquio.

Na estreia da competição, Ítalo liderou a primeira bateria, com o somatório de pontos de 13.67. Com esta pontuação, ele ficou à frente do japonês Hiroto Ohhara (11.40), do italiano Leonardo Fioravanti (9.43) e do argentino Lele Usuna (8.27).

Classificado para as oitavas de final, o brasileiro derrotou o neozelandês Billy Stairmand por 14.54 a 9.67. Nas quartas, ele voltou a encarar o japonês Hiroto Ohhara, que esteve presente na bateria inicial. Ítalo mais uma vez levou vantagem, e derrotou o oponente por 16.3 a 11.9.

Em busca do ouro
Diante do veterano surfista australiano, o potiguar não fez uma atuação sensacional. Ele tentou em várias oportunidades acertar manobras aéreas, mas não conseguiu completar com perfeição. Porém, ele surfou o suficiente para garantir a chance de buscar o ouro na disputa do surfe masculino. A disputa entre Ítalo Ferreira e Kanoa Igarashi está prevista para acontecer ainda na madrugada desta terça-feira, a partir das 3h46 (horário de Brasília).

Derrota no final
Na primeira semifinal, Gabriel Medina começou com tudo, apostando em aéreos perfeitos, o que lhe deu uma boa vantagem desde o início. Porém, na parte final da disputa o japonês deu um aéreo rotatório que o colocou em vantagem.

Pressionado, o brasileiro ainda tentou forçar a virada, mas não teve sucesso, perdendo a vaga na final, e ficando apenas com a possibilidade de lutar pelo bronze, contra Owen Wright.

Adeus de Silvana
No feminino, Silvana Lima acabou derrotada pela norte-americana Carissa Moore, por 14,26 a 8,30, nas quartas de final, e deu adeus a qualquer chance de medalha.

Agência Brasil