Previous
Next
Previous
Next

Em dia de recorde de mortes por coronavírus, presidente da FPF fala em retorno ao futebol

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Primeiro os estaduais. Depois o Campeonato Brasileiro.

Eis o resumo, segundo a presidente Michele Ramalho, da FPF, sobre a reunião por videoconferência desta terça-feira (28), dia que o país registrou 474 mortes por coronavírus, um recorde até o momento, e passou dos 5 mil óbitos em decorrência da doença, entre dirigentes da CBF e federações. As pautas foram o retorno das atividades do futebol brasileiro e os protocolos de saúde a serem seguidos em meio à pandemia do Coronavírus.

A tendência, pelo que discutiram os cartolas, é que os clubes retomem os treinamentos nas próximas semanas, com a bola podendo voltar a rolar no início de junho.

Coincidentemente, também nesta terça-feira, o Ministério da Saúde contabilizou 474 óbitos por Covid-19 nas últimas 24 horas, um novo recorde.

Oficialmente, até o momento, o Brasil tem 71.886 casos registrados, com 5.017 mortes, números que fazem o País ultrapassar a China nas cruéis estatísticas sobre a pandemia.

Diante da situação, a presidente Michelle Ramalho diz que a FPF se mantém cautelosa. A entidade não vai cravar a marcação de uma data para a retomada do futebol paraibano.

Segundo matéria publicada pelo jornal O Globo, a CBF teria sugerido que as federações se articulassem com os respectivos governos estaduais para viabilizar o retorno das competições no dia 17 de maio. Para isso, os treinos começariam já na próxima semana.

– A CBF deixou bem claro que todas as federações devem seguir protocolos. O da própria CBF e, principalmente, a das autoridades de saúde. Não vai ser uma retomada uniforme. Pode ser que volte em um estado e, em outro, continue parado – explicou a dirigente, em entrevista ao Globoesporte da Paraíba.

Ainda segundo Michele, o certo mesmo é que uma diretriz está definida: o primeiro passo nessa volta será a conclusão dos estaduais.

A mandatária do futebol paraibano revelou que na videoconferência sequer foi falado em Campeonato Brasileiro.

Ela reiterou que a CBF já deixou claro que a prioridade é encerrar os campeonatos já iniciados.

Na reunião, inclusive, o presidente Rogério Caboclo orientou que os presidentes de federações mantenham seus regulamentos.

– Há uma corrente que defende simplificar os regulamentos de alguns estaduais para facilitar o seu encerramento. Mas a CBF alertou que isso pode causar uma insegurança jurídica, especialmente para a distribuição de vagas para as competições de 2021 – disse Michele.

A presidente da FPF se refere às vagas que dependem da classificação dos estaduais, como a Copa do Brasil, Copa do Nordeste e Copa Verde, além do Brasileiro da Série D. Por isso, a orientação é que os campeonatos sejam todos retomados do ponto que parou. Na maioria deles, restam seis datas para a sua conclusão.

Protocolo da CBF

Além de esperar uma posição das autoridades de saúde, as federações precisam seguir um rigoroso protocolo que será enviado pela CBF para a retomada do futebol.

Nele, há a recomendação de se testar todos os jogadores para a Covid-19, antes mesmo de se iniciar o período de treinos. De acordo com Michelle Ramalho, a CBF já adiantou que as federações e os clubes serão responsáveis pelos custos dos testes.

– Vamos esperar a definição do protocolo da CBF. Sabemos que os custos para testes são altos. Por isso, é preciso discutir a melhor forma de fazer isso na Paraíba – completou a chefe da FPF.

Voz da Torcida