Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next

Emissoras de TV aberta lutam por espectro para implementarem TV 3.0

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

De olho nas potencialidades do 5G e na ascensão das plataformas de streaming, as TVs abertas correm com os preparos para a implementação do novo sistema de broadcast — conhecido como TV 3.0. Ao mesmo tempo em que o fórum SBTVD (Sistema Brasileira de TV Digital) está coletando novas ideias e tecnologias de interessados, a Anatel luta para atualizar o Regulamento de Uso do Espectro de Radiofrequências (RUE).

De acordo com o fórum SBTVD, o grande desafio da TV aberta será a necessidade do uso de novos canais, tendo em vista que os serviços de radiodifusão (de radio e televisão) tem perdido espectro para as telecomunicações, diante das digitalizações dos sinais. Ainda segundo a entidade, a TV 3.0 pode trazer inúmeras vantagens, como:

Transmissão de programações diferenciadas em cada localidade usando o mesmo canal físico;
Expansão da cobertura utilizando um único canal;
Maiores proteções à rede contra interferências;
Uso simultâneo e independente dos 37 canais de UHF e 7 canais de VHF em todas as localidades;
Cobertura para recepção com antenas internas que simplificam a captação do sinal da TV sem que haja necessidade de reapontamento. No futuro, as antenas poderão ser integradas aos televisores, para uma experiência ainda mais “plug and play”.

Além disso, a chamada pública da SBTVD pretende otimizar a conexão broadband-broadcast (com o DTV Play), aperfeiçoar a qualidade de vídeo e áudio (HDR e áudio imersivo), incorporar alertas de emergência e prover uma experiência baseada em aplicativos.

Aguardada por diversos setores que vislumbram oportunidades com o advento da rede móvel 5G e demais tecnologias sem fio, a revisão do RUE, pela Anatel, é outro ponto essencial para a implementação da nova geração de TV aberta.

O órgão está colhendo subsídios e sugestões desde julho de 2020. A resolução do regulatório sobre o uso do espectro de radiofrequências pode fomentar o crescimento do mercado de broadcast — bem como de suas aplicações —, proporcionando estabilidade e segurança jurídica para os players do mercado.

 

Via: Telesíntese