Previous
Next
Previous
Next

Dono de Shopping e comunicador de tv de João Pessoa, tem conversas de WhatsApp que revelam esquema criminoso, diz MPPB

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Deflagrada nesta quinta-feira (18), a segunda fase da Operação Xeque-Mate visa investigar a compra de mandato na Prefeitura de Cabedelo. O Ministério Público da Paraíba (MPPB) requereu à Justiça, além dos condenação dos réus, a aplicação das penas de perda de cargo, emprego, função pública ou mandato eletivo.

A denúncia foi protocolada no último dia 22 de junho.

Segundo o MPPB, os dados extraídos do aparelho de telefone celular de propriedade do empresário Roberto Santigo e elementos de provas colhidas nos endereços de Fabiano Gomes comprovam a participação de ambos, de forma estável e permanente, cada um com o seu papel para realização dos mais diversos fins criminosos.

Entre os denunciados por corrupção ativa estão Wellington Viana França (Leto Viana), prefeito afastado de Cabedelo e apontado como cabeça do esquema criminoso revelado pela Xeque-Mate; Roberto Ricardo Santiago Nóbrega, empresário; Olívio Oliveira dos Santos, então secretário de Comunicação; Fabiano Gomes da Silva, radialista; Lucas Santino da Silva, ex-vereador e Fabrício Magno Marques de Melo Silva, assessor de Leto. José Maria de Lucena Filho, ex-prefeito, foi o único dos sete processado por corrupção passiva.