Anterior
Próximo
Anterior
Próximo

Família processa Apple e diz que AirPods deixaram criança surda

A Apple foi processada pela família de uma criança do estado do Texas, nos Estados Unidos, que alega que um menino sofreu uma perda auditiva permanente por conta de uma falha nos fones de ouvido sem fio AirPods.

Na ação, Carlos Gordoa e Ariani Reyes declaram que os AirPods que foram dados de presente ao filho do casal tinham um defeito sério. O casal alega que os fones de ouvido reproduziam alertas em volume perigosamente alto. Segundo eles, independente do volume definido pelo usuário, o áudio dos fones seguia muito mais alto do que o recomendado.

Criança precisou usar um aparelho auditivo desde o incidente com os AirPods, alega a família. Crédito: GUNDAM_Ai/Shutterstock

Neste momento foi emitido um “Alerta Amber”, que é uma notificação usada nos Estados Unidos para notificar sobre o desaparecimento de crianças. O alerta teria gerado um som abrupto e muito alto, que teria causado um rompimento no tímpano da criança.

O incidente teria causado a perda total da audição da criança, que ouve apenas um zumbido permanente, além de sofrer com tonturas e ter passado a precisar usar um aparelho auditivo desde então.

Apple sabia dos riscos, diz família

De acordo com a família do agora adolescente, a Apple estava ciente de que os AirPods emitiam alertas muito altos pelo menos desde 2019. Uma série de reclamações online apontavam que o volume dos alertas não era correspondente ao da mídia que estava tocando.

“A vida desse menino foi severamente alterada porque a Apple não avisou sobre os níveis de volume de seus AirPods, levando à perda permanente da audição”, disse Tej Paranjpe, da PMR Law, advogado da família, em comunicado.

Olhar Digital