Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next

Justiça Eleitoral proíbe candidatos de realizarem eventos que provoquem aglomeração em JP

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

A Justiça Eleitoral deferiu o pedido de tutela de urgência requerido pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) e determinou que todas as 14 agremiações e candidatos a prefeito do Município de João Pessoa se abstenham de promover carreatas e outros eventos que provoquem aglomeração e não assegurem o distanciamento social, sob pena de pagamento de multa diária no valor de R$ 10 mil por evento e dia.

As representações eleitorais foram ajuizadas pela promotora de Justiça da 76ª Zona Eleitoral, Norma Maia Peixoto Santos, na última sexta-feira (23/10), após o surgimento de inúmeras notícias sobre a realização de atos partidários com aglomeração de pessoas, em diversos pontos da cidade. Os fatos estão sendo analisados e investigados pelo MPE e poderão ensejar novas representações para punir os infratores.

Segundo ela, houve descumprimento dos decretos estadual e municipal que versam sobre as medidas de enfrentamento e prevenção à pandemia da covid-19 e da Portaria 05/2020 expedida pela 76ª Zona Eleitoral, no último dia 14 de outubro, proibindo a realização de atos de propaganda eleitoral que ensejem grande aglomeração de pessoas (tais como, comícios, carreatas e caminhadas), no município de João Pessoa, enquanto a cidade não se enquadrar na bandeira verde, conforme os termos da classificação dos municípios previstos no Decreto Estadual nº 40.304/2020.

A promotora eleitoral destacou que a capital paraibana está classificada na bandeira amarela (o que indica a necessidade de medidas mais restritivas de prevenção à covid-19, uma vez que não existe vacina ou medicamentos reconhecidamente eficientes para combater a doença) e que, em reunião promovida no último dia 1º de outubro pela 76ª Zona Eleitoral, todos os partidos e representantes legais dos candidatos a prefeito da cidade acordaram em não fazerem nenhum tipo de propaganda de rua que resultasse em aglomeração de pessoas.

Para o MPE, o fato de agremiações partidárias e candidatos insistirem em descumprir as restrições impostas pela pandemia reforça a necessidade de imposição de sanção pecuniária e por isso houve o ajuizamento das 14 representações. “Os números da pandemia no Estado da Paraíba denotam a necessidade da persistência dos cuidados levados a efeito por orientação dos órgãos de saúde, a fim de se mitigar o contágio e disseminação da doença, prevenindo o colapso do sistema de saúde. Cumpre destacar que, no Município de João Pessoa, até o dia 19 de outubro de 2020, foram confirmados 31.430 casos e 961 mortes por covid-19”, argumentou a promotoria.

Em sua decisão, o juiz Adhailton Porto destacou o perigo de dano ou risco que eventos político-partidários podem trazer à saúde e à vida das pessoas. “A carreata é um dos meios de propaganda que mais arregimentam pessoas, que é um dos fatores que desencadeiam o contágio em massa do covid-19, com aumento das internações nas Unidades de Tratamento Intensiva dos hospitais e o crescimento impactante no risco de vida entre os contaminados”, disse.

Confira as coligações e candidatos a prefeito e vice-prefeito representados pelo MPE

1. Coligação “Pra cuidar de João Pessoa” – Cícero Lucena e Leo Bezerra;
2. Coligação “Pra João Pessoa funcionar” – Raoni Mendes e Coronel Ramalho;
3. Partido Socialismo e Liberdade – Italo Guedes e Márcio Roberto;
4. Partido Socialista dos Trabalhadores Unificados – Rama Dantas e Tanque;
5. Rede Sustentabilidade – Carlos Monteiro e Filipe Leite;
6. Coligação “Unidos por João Pessoa” – Anísio Maia e Percival Henriques;
7. Unidade Popular – Rafael Freire e João Batista;
8. Coligação “Um novo momento, uma nova solução” – João Almeida e Carlisson Figueiredo;
9. Coligação “A cidade no ritmo certo” – Ruy Carneiro e Zé Gadelha;
10. Coligação “A força do povo” – Ricardo Coutinho e Paula Frassinete;
11. Coligação “Coragem para fazer o novo” – Wallber Virgolino e Leila Fonseca;
12. Coligação “João Pessoa da gente” – Edilma Freire e Mariana Feliciano;
13. Movimento Democrático Brasileiro – Nilvan Ferreira e Major Milanez;
14. Partido da Causa Operária – Camilo Duarte e Maurição Almeida.

Assessoria