Previous
Next
Previous
Next

Mais de 2 mil crianças foram intoxicadas por medicamentos na PB, diz relatório

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Um levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) revelou que 2.088 crianças e adolescentes foram vítimas de intoxicação pela exposição inadequada a medicamentos entre os anos de 1999 a 2016 na Paraíba.

O impacto negativo desse dano à saúde foi registrado entre crianças de zero a adolescentes de 19 anos. De acordo com o Sistema Nacional de Informações Toxico-farmacológicas (Sinitox), ao longo de 18 anos foram mais de 245 mil casos de intoxicação atingindo essa faixa etária, com o registro de 240 mortes em todo Brasil.

Os números mostram que o risco de intoxicação é maior entre as crianças de um a quatro anos. “Mais da metade dos casos registrados [53%] referem-se a acidentes com crianças dessa faixa etária. Elas são naturalmente muito curiosas e querem colocar tudo na boca, o que faz parte do desenvolvimento. Além disso, os medicamentos da linha pediátrica possuem embalagens coloridas e cheirosas, que estimulam os sentidos da criança”, disse a presidente da SBP, dra Luciana Rodrigues Silva.

1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016
19     25     54     57     82     127   101   206  162   158   162      *     126  163    174   163   147  162

A Sociedade Brasileira de Pediatria ofereceu uma contribuição aos médicos, recentemente, quando lançou o Guia Prático de Atualização sobre o tema “Intoxicações agudas por medicamentos de uso comum em pediatria”, com foco nos médicos. A intenção foi qualificar os profissionais para o atendimento de casos com esse perfil.

Segundo o presidente do Departamento Científico de Toxicologia, dr. Carlos Augusto Mello da Silva, os acidentes podem ser evitados quando pais e responsáveis tomam o devido cuidado. “Os adultos devem estabelecer algumas precauções para evitar que situações adversas se concretizem. A principal delas é sempre armazenar fármacos e produtos de limpeza sempre nos locais mais elevados, de preferência em armário com chave”, recomenda.

Fonte. portalt5