Previous
Next
Previous
Next

Ministro Rogério Marinho, João Azevêdo e governadores, formalizam pré-acordo para Projeto São Francisco

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Documento foi assinado nesta quinta-feira (29) pelo ministro Rogério Marinho, pelo advogado-geral da União, pelos governadores da Paraíba, do Ceará e do Rio Grande do Norte e pela vice-governadora de Pernambuco

Em João Pessoa, o governador da Paraíba, João Azevêdo, e o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, assinaram pré-acordo para operação comercial do Projeto de Integração do Rio São Francisco. A iniciativa contou com a participação, por videoconferência, do ministro-chefe da Advocacia-Geral da União, André Mendonça, e dos representantes dos estados atendidos pela transposição, o governador Camilo Santana, do Ceará; a governadora Fátima Bezerra, do Rio Grande do Norte; e a vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos.

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) apresentou um pré-acordo para definir critérios contratuais para início da operação comercial dos serviços de operação e manutenção do sistema, negociados por intermédio da Câmara de Mediação e de Conciliação da Administração Pública Federal, órgão ligado à Advocacia-Geral da União (AGU).

“Este termo põe fim há anos de negociação entre o Governo Federal e os estados. Água é desenvolvimento e qualidade de vida, principalmente para as famílias do Nordeste, que historicamente convivem com a seca”, destacou o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. “Fazer essa água chegar à população é uma das prioridades do Governo Federal e do presidente Jair Bolsonaro”, apontou.

Ainda de acordo com o ministro, as negociações entre o Governo Federal e os estados ocorrem desde 2016, sendo que as demandas dos governos estaduais foram acolhidas somente nesta gestão. Entre as diretrizes acordadas, está o pagamento escalonado pelos estados, começando por 5% do valor total e chegando a 100% no quinto ano – com o restante dos custos sendo arcados pela União nesse período. O início do pagamento está previsto para outubro deste ano para Paraíba e Pernambuco, que já têm acesso às águas desde 2017, por meio do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco. Para o Ceará e o Rio Grande do Norte, há previsão de período de testes antes do início do pagamento.

“O Governo Federal tem como meta levar água para todos os nordestinos. Por parte da AGU, é uma honra poder contribuir na democratização da água. Estamos estabelecendo um pré-acordo que é simples, mas com impacto gigantesco para o nordestino, levando água por um preço justo”, destacou o ministro-chefe da AGU, André Mendonça.

Na oportunidade, o chefe do Executivo da Paraíba destacou a importância da transposição para os nordestinos. “Essa obra é redentora para o nosso povo porque garante segurança hídrica e desenvolvimento para as nossas cidades e esse momento traz um conceito de funcionalidade e sustentabilidade. O estado mantém suas responsabilidades e esperamos que as obras complementares sejam feitas para que mais paraibanos sejam contemplados”, frisou.

Ele também destacou que o entendimento firmado para a consolidação do pré-acordo possibilitou um menor valor de custeio da operação do serviço. “Várias ações ainda serão feitas no sentido de melhorar e baratear o custo da energia que é o peso maior dentro desse processo e essa conciliação que fizemos, por meio da Advocacia-Geral da União, permitirá um pagamento pequeno”, acrescentou.

Para o governador do Ceará, Camilo Santana, o acordo firmado entre a União e os estados nordestinos que serão beneficiados pelas águas do ‘Velho Chico’ vai garantir a perenidade e melhor funcionamento das estruturas do empreendimento. “Esse compromisso é a garantia da sustentabilidade do Projeto São Francisco. Essa é uma obra importantíssima para o crescimento e desenvolvimento da região e, principalmente, para darmos condições de melhoria de vida para quem mora nas zonas rurais do Nordeste”, observou.

OBRAS COMPLEMENTARES

Por meio do pré-acordo, o Governo Federal se compromete em concluir as obras complementares ao Projeto de Integração do Rio São Francisco, como o Ramal e a Adutora do Agreste, em Pernambuco, o Ramal do Apodi, no Rio Grande do Norte, o Ramal do Salgado, no Ceará, e o Ramal do Piancó, na Paraíba.

“As obras complementares são importantíssimas e serão elas que garantirão que milhões de nordestinos sejam contemplados com essa obra”, reforçou o governador da Paraíba, João Azevêdo. “Esse é um momento de redenção para o povo do Nordeste.

A conclusão das obras complementares será fundamental para darmos dignidade ao povo do sertão”, completou a vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos.

O MDR continuará também buscando soluções enérgicas em parceria com o Ministério de Minas e Energia (MME) para reduzir o custo de operação e manutenção do sistema. A assinatura do contrato de prestação de serviço definitivo está prevista para agosto deste ano.

“Para nós, nordestinos, não é uma noite qualquer. Ao assinarmos esse pré-acordo, estamos dando um passo fundamental para a conclusão desta obra, que vem sendo esperada pela população do Nordeste há séculos. É um dos sonhos mais antigos que o povo nordestino acalanta no peito”, destacou a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra.

Também estiveram presentes à assinatura do pré-acordo o secretário nacional de Segurança Hídrica do MDR, Sérgio Costa, e a diretora-presidente da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), Christianne Dias.

 

wscom