Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next

Motoristas de aplicativos farão paralisação contra insegurança, taxas e por maiores ganhos

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Motoristas de transporte por aplicativo na região metropolitana de João Pessoa farão uma paralisação nesta quarta-feira (8). O movimento é organizado pela Comissão de Regulamentação dos Transportes por Aplicativos de João Pessoa. Eles protestam por reajuste de tarifas, menores taxas cobradas pelas empresas dos aplicativos, segurança nas corridas e regulamentação para a categoria.

Já existe uma comissão formada para reivindicar a regulamentação dos motoristas de transporte por aplicativo. A manifestação marcada para esta quarta-feira será concentrada às 8h30, no estacionamento do estádio Almeidão.

O ClickPB conversou com o vice-presidente da Associação dos Motoristas de Transporte Privado Individual da Paraiba (AMTPI-PB), Fernando Barros. Ele contou que a manifestação é sobre a operação de todos os aplicativos de corridas que tem atuação no estado, mas que o foco é na Uber.

A empresa se prepara para entrar no mercado da bolsa de valores, com a primeira oferta pública inicial. A previsão é de entrada na sexta-feira (10). A Uber, segundo Fernando Barros, tem o objetivo de diminuir a tarifa da corrida para conquistar mais espaço no mercado e os condutores se sentem prejudicados com essa ação, pois preveem redução nos ganhos com viagens.

O vice-presidente da AMTPI-PB alega que os motoristas têm sofrido com o aumento do preço dos combustíveis, com gastos de manutenção nos veículos e outras despesas e que essa baixa na tarifa pode prejudicá-los.

Fernando Barros também lembra dos constantes assaltos e fala que a categoria quer uma identificação mais segura e detalhada dos passageiros. Além disso, querem ser reconhecidos como atividade legal através de regulamentação no município de João Pessoa.

“A gente tem cinco anos no Brasil e quase três anos em João Pessoa. E, nesses cinco anos, a inflação é de quase 29,3%. E nunca houve reajuste (na tarifa) e o preço do combustível dobrou. Isso sem a gente falar (dos gastos) do pneu, de óleo e da manutenção”, relatou o vice-presidente da AMTPI-PB.

clickpb