Previous
Next
Previous
Next

Motoristas de ônibus paralisam frota em manifestação na Lagoa

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Uma manifestação promovida por motoristas de ônibus paralisou a frota que circula no entorno da Lagoa do Parque Solon de Lucena, no Centro de João Pessoa, na manhã desta segunda-feira (25). O movimento terminou por volta das 10h20, após cerca de uma hora de duração, segundo a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Semob-JP).

De acordo com a Semob-JP, o protesto teve início por volta das 9h e agentes de trânsito estiveram no local orientando o tráfego de veículos. O órgão municipal relatou que, durante o ato, os automóveis transitaram por uma faixa no anel externo da Lagoa, havendo um desvio no cruzamento da Avenida Getúlio Vargas com a Rua Eurípedes Tavares.

Motoristas presentes na manifestação afirmaram que a mobilização ocorreu em virtude de reivindicações profissionais da categoria, que exerce longas jornadas de trabalho, atuando em dois turnos, além de sofrer redução do ticket-alimentação e conviver constantemente com aglomerações dentro dos veículos, havendo exposição ao risco de contaminação pela Covid-19. Os condutores de transporte coletivo também se queixam dos aumentos propostos nos preços das passagens.

Portal Correio procurou o Sindicato dos Motoristas da Paraíba, mas a entidade não se pronunciou sobre o ato até a publicação desta matéria.

O superintendente da Semob-JP, George Morais, em vídeo divulgado através das redes sociais, confirmou que as reivindicações da categoria são direcionadas às empresas de transporte coletivo, referentes a melhorias profissionais. “A Semob-JP se coloca à inteira disposição para negociar, para mediar, para tentar conciliar e chegar a um melhor termo, a um melhor acordo possível”, disse o superintendente.

Aumento na tarifa

O aumento na tarifa de ônibus em João Pessoa já é debatido entre empresários do setor e a prefeitura. O Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de João Pessoa (Sintur) já apresentou à Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP) documentos com registro de despesas com combustível, insumos e pessoal para que sejam analisados de forma que deem base à nova tarifa. A análise desses documentos deverá ocorrer no fim de janeiro.

Crise em Campina Grande

Os empresários do transporte público em Campina Grande alegaram que o sistema está falido. O presidente do Sindicato das Empresas, Agnelo Candido, disse que as empresas não dispõem mais de capacidade financeira para honrar os compromissos, inclusive de funcionários, como salários e vales-alimentação atrasados, e que o sistema está falido.

O prefeito Bruno Cunha Lima (PSD) se reuniu com a categoria no fim da semana passada, mas não houve nenhuma conclusão do que poderá ser feito para reverter os problemas.

*Matéria atualizada às 11h06 para inclusão de informações

Portal Correio