Previous
Next
Previous
Next

Pesquisa aponta que idosos de cidade do Sertão da PB vivem mais e melhor; veja

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Estudantes da Universidade Estadual da Paraíba estão analisando porque os idosos da Cidade de Brejo dos Santos, no sertão do Estado, vivem tão bem e apresentam poucos problemas de saúde. A pesquisa é coordenada pela Professora Silvana Santos, da UEPB, e apesar de não ter sido concluída, já apresenta resultados preliminares.

A pesquisa de campo colheu dados de Março a Junho deste ano. As estudantes da UEPB coletaram dados, mediram altura e acompanharam os idosos de Brejo dos Santos. O perfil que fez parte do estudo eram os de 80 anos ou mais. Cada um respondeu a um questionário que foi dividido em algumas sessões, como dados pessoais e estado de saúde. Esses questionários eram aplicados em forma de entrevista.

A Cidade de Brejo Santos tem 8 mil habitantes e foi escolhida levando em consideração os hábitos do povo sertanejo. O foco da pesquisa é estudar a relação da genética com a longevidade.

De acordo com uma das pesquisadoras, a população tem um hábito muito homogêneo, eles fazem muitas coisas semelhantes. Outra característica marcante é o casamento consanguíneo entre pessoas próximas da família. O estudo visa também identificar se esses aspectos genéticos são determinantes para as característica dos idosos de Brejo dos Santos.

No estudo foram ouvidos 169 idosos. A pesquisa não terminou, mas os dados preliminares mostram que os idosos da cidade pequena adoecem menos e se sentem mais protegidos, pelos amigos e pelos familiares.

“A gente tem menos prevalência de algumas doenças crônicas, como diabetes e hipertensão. É uma população que tem uma melhor condição de saúde. A gente também conseguiu perceber que a consanguinidade pode ser um fator importante, associado ao viver mais e melhor. E isso também tem a ver com a rede de apoio. Em cidades menores os idosos têm mais amigos”, disse a coordenadora da pesquisa.

t5