Previous
Next
Previous
Next

Secretário alega exagero em interdição do Trauminha: ‘Vai lotar Trauma da BR’

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

O secretário de Saúde de João Pessoa, Adalberto Fulgêncio, nesta sexta-feira (28), afirmou que ainda não foi notificado oficialmente da interdição ética realizada no Complexo Hospitalar de Trauma de Mangabeira Governador Tarcísio Burity – Ortotrauma (Trauminha) feita pelo Conselho de Medicina da Paraíba (CRM-PB).

“Soube apenas informações da imprensa e um papal colado na porta. Foi me apresentado um documento solicitando a escala médica na sexta e isso foi entregue ontem. Essa interdição fala sobre questões internas do Trauminha como limpeza, super população de acompanhantes e outras. Realmente, tem algumas coisas para reorganizar, mas não para interditar algo tão importante”, declarou.

Em entrevista concedida ao programa 60 Minutos, da Arapuan FM, Fulgêncio contou que o presidente do CRM-PB, Roberto Magliano de Morais, não atende suas ligações e que esse mandou recado dizendo que conversará sobre o assunto apenas na segunda-feira à noite.

“O Trauminha atende a 64 municípios e eu lamento muito porque o que vai acontecer é superlotar o Trauma da BR e eu pedi a reconsideração dele, que poderia interditar só uma área, não tudo. Temos problemas, mas são suficientes para interdição ética? Não. O que estou dizendo é preciso bom senso, estamos em meio a uma epidemia e o relatório não me dá nem um prazo para resolver”, arrematou.

 

paraiba.com.br