Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next

Sem chances em equipes profissionais, goleiro Bruno assina com time amador em MG, diz clube

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

 

Desde que se desligou do Poços de Caldas Futebol Clube, o goleiro Bruno encontra dificuldades para encontrar outro time profissional e voltar ao futebol. Entretanto, a Associação Registanea Esporte Clube, equipe que disputa campeonatos amadores em Varginha (MG) e no Sul de Minas Gerais, afirma ter contratado o atleta para a temporada 2020.

A informação foi confirmada ao Globoesporte.com pelo presidente da equipe, Rafael Lecca. O Registanea, time tradicional em torneios amadores, inicia a disputa do Campeonato Amador de Varginha no dia 3 de março.

– Realmente ele já assinou [contrato] e vai disputar o Amador com a gente. Fomos atrás dele e conversamos para ver se era cabível a ele, e chegamos a um acordo. Ele não vai precisar pedir para Justiça [para poder atuar], pois ele está em liberdade pra ficar em Varginha – afirmou Rafael Lecca.

O presidente do Registanea foi perguntado sobre acordo financeiro para que Bruno atue na equipe. Ele, no entanto, preferiu não revelar esta questão.

O Globoesporte.com entrou contato com a advogada de Bruno para tentar confirmar a assinatura do contrato do goleiro com o clube amador. Mas até a publicação desta reportagem nenhum retorno foi dado.

Sem chances no profissional

Bruno chegou a conseguir na Justiça autorização para transferir residência e assinar com o Operário, do Mato Grosso. Entretanto, em meio à negociação, por conta da reação negativa do município, de torcedores e de patrocinadores, o time desistiu do negócio.

Antes disso, a negociação foi com o Fluminense de Feira de Santana, na Bahia. Igualmente com o que ocorreu com o Operário (MT), a equipe acabou desistindo por conta da repercussão.

Caso Bruno

Bruno foi preso em setembro de 2010 e condenado em março de 2013 pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza Samudio e pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho. Ele também havia sido condenado por ocultação de cadáver, mas esta pena foi extinta, porque a Justiça entendeu que o crime prescreveu sem ser julgado em segunda instância. As penas válidas somadas, então, são de 20 anos e 9 meses.

Atualmente o goleiro cumpre pena em regime semiaberto domiciliar em Varginha, onde está desde abril de 2017. Ele conseguiu a progressão de pena em 19 de julho após uma decisão da 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais do município.

Clickpb