Previous
Next
Previous
Next

Técnicos de River e Palmeiras duelam em momentos diferentes da carreira

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Palmeiras e River Plate começam a decidir nesta terça-feira, às 21h30 (horário de Brasília), na Argentina, a semifinal da Copa Libertadores. E o duelo colocará frente a frente dois treinadores da mesma geração, mas que vivem momentos bem distintos em suas carreiras.

O argentino Marcelo Gallardo, do River, e o português Abel Ferreira, do Verdão, se tornaram técnicos no mesmo ano. Em 2011, ambos abandonaram suas carreiras nos campos e assumiram as equipes pelas quais jogavam.

Consagrado meia, com duas Copas do Mundo no currículo, Gallardo, hoje com 44 anos, parou de jogar após séria lesão no joelho e assumiu o comando do Nacional, do Uruguai. Com Abel, de 42 anos, aconteceu o mesmo: pendurou as chuteiras após grave lesão no joelho e se tornou o técnico do time sub-19 do Sporting, de Portugal.

Mas se houve essas semelhanças no inícios das carreiras dos dois, hoje eles vivem situação bem diferente. Enquanto Gallardo tem um dos trabalhos mais longevos e consagrados do futebol mundial, repleto de títulos, Abel está há apenas dois meses no Palmeiras e busca sua primeira conquista como treinador no profissional.

O argentino está no comando do River desde 2014. Desde então, transformou a equipe em uma máquina de títulos. Além de torneios nacionais, ganhou duas Libertadores, uma Copa Sul-Americana e três Recopas Sul-Americanas. Ainda foi vice da Libertadores no ano passado – ele chegou a cinco semifinais até agora na competição.

Já Abel Ferreira tem uma trajetória menos vitoriosa, até por ter passado por clubes de menor expressão na Europa, como Braga, de Portugal, e PAOK, da Grécia, seus dois únicos trabalhos no profissional antes do Palmeiras.

Em mais de uma oportunidade, Marcelo Gallardo foi cobiçado pelos torcedores do Verdão, que chegaram até a fazer campanha nas redes sociais pela contratação dele. Hoje, porém, Abel vive “lua de mel” com os palmeirenses após dois meses de trabalho.

Mesmo contemporâneos, os dois nunca se enfrentaram como jogadores. Nesta terça-feira, será o primeiro duelo entre eles como técnicos. O confronto entre o trabalho consolidado e vitorioso do argentino e o promissor e esperançoso início do português.

 

 

 

ge