Previous
Next
Previous
Next

Terremoto é causado pela Marinha dos Estados Unidos; saiba como

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Não, não é notícia repetida. A Marinha dos Estados Unidos realmente fez de novo. O braço das Forças Armadas norte-americanas conduziu uma “explosão experimental” e desencadeou outro terremoto de magnitude 3,9 na escala Richter, na tarde deste domingo (8), na Flórida, estado que raramente tem notificação de tremores de terra.

A Marinha havia lançado explosivos de alta velocidade a menos de 200 quilômetros da costa de Jacksonville, cidade mais populosa da Flórida, no norte do estado, de acordo com a rádio local WLTX. O tremor foi registrado pouco antes das 15h e a magnitude foi divulgada pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês).

Em seu canal no YouTube, a Marinha publicou um vídeo, que diz ser o “terceiro e último teste de choque do USS Gerald R. Ford”. Esse tipo de experimento busca validar a capacidade do navio de sustentar operações em um ambiente de combate usando artilharia real.

Ainda segundo a Defesa dos EUA, durante a evolução dos testes que duraram quatro meses, o primeiro porta-aviões desta classe resistiu ao impacto de três explosões subaquáticas de 40.000 libras. Cada uma delas era lançada progressivamente a distâncias mais curtas do navio.

As explosões causaram terremotos na Flórida, estado que raramente registra os fenômenos naturalmente. Imagem: Mass Communication Specialist 3rd Class Jackson Adkins
“A Marinha projetou o porta-aviões da classe Ford usando métodos avançados de modelagem de computador, testes e análises para garantir que os navios sejam reforçados para resistir às duras condições de batalha”, disse o capitão Brian Metcalf, gerente do escritório do futuro programa de porta-aviões da Marinha, PMS 378, ao site do braço das Forças Armadas.

 

A Marinha alega que essas explosões respeitam “os padrões de migração conhecidos da vida marinha na área de teste”. O porta-aviões USS Gerald R. Ford custou US$ 13,3 bilhões, o mais caro navio de guerra da história do país.

 

Via: Futurism / WLTX / Navy