Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next

Terror dos pets e dos bebês e aumento da poluição: deixe os fogos de artifício longe da sua família

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Faz parte da tradição, principalmente no nordeste soltar fogos e acender fogueiras nas vésperas e/ou dia dos três principais santos das festas juninas. Porém há várias razões para abolir de vez esses costumes e elas atingem diretamente crianças, animais e pessoas com problemas respiratórios principalmente.

O primeiro grande motivo é que o barulho causados pelas bombas aterroriza os bebês e os animais. Para os animais, o barulho pode incomodar e causar alguns transtornos, podendo até levar a morte em caso de doenças cardíacas.

O médico veterinário Tito Luiz explica que os fogos de artifícios comuns, em sua grande maioria, geram sons que podem ser ouvidos a quilômetros, assustando principalmente os animais, já que eles têm a audição muito mais apurada do que a do ser humano. Isso pode levar a crises nervosas, convulsões, fugas, e até morte no caso de animais com doenças cardíacas.

Mas, segundo o especialista, o mercado já oferece opções de fogos de artifícios que não emitem som. “Assim, podemos apreciar apenas as imagens criadas sem o incômodo do barulho, poupando dos transtornos tanto os animais como bebês recém-nascidos, pessoas doentes, entre outros”, comenta, destacando que, em algumas cidades, já está proibindo o uso de fogos de artifícios que produzem barulho.

O som forte produzido durante a queima dos fogos pode causar danos irreparáveis ao sistema auditivo, como perda de audição severa, uni ou bilateral, temporária ou – nos casos mais graves – definitiva e irreversível. O principal sintoma de que algo está errado é o aparecimento imediato de um zumbido. Já as crianças podem manifestar, no choro, o que estão sentido. O pior é que na maioria das vezes os pais não se dão conta do estrago que os fogos podem ter acarretado ao sistema auditivo de seus filhos.

“Nesta época de festas juninas há muitos casos de perda de audição unilateral, em apenas um dos ouvidos. O maior problema é a intensidade de som dos fogos em um curto espaço de tempo. O prejuízo é imediato, se estivermos muito perto. O sintoma mais recorrente é o zumbido, transtorno que atinge milhões de pessoas no mundo. Se depois do estampido dos fogos houver zumbido ou sensação de ouvido tampado é preciso procurar logo um médico otorrinolaringologista para avaliar a extensão e gravidade do dano auditivo”, explica a fonoaudióloga Marcella Vidal, da Telex Soluções Auditivas.

Poluição

A queima de fogos de artifício também emite compostos poluentes para a atmosfera, o que também a caracteriza como uma forma de poluição do ar. O mesmo vale para as fogueiras. Vamos contribuir com o meio ambiente e ter um São João sem surpresas desagradáveis.

paraiba.com.br