Anterior
Próximo
Anterior
Próximo

Uber Eats deve focar em entrega de compras de supermercado

Na última semana, a Uber anunciou o encerramento das entregas de restaurantes do Uber Eats, programado para março. Agora, o aplicativo deve investir na modalidade de compras, mirando no delivery de supermercado e pacotes, para tentar manter o crescimento.

No caso de supermercados, o Uber Eats conta com a startup chilena Cornershop. A Uber tinha 53% de participação na empresa até 2020 e, no ano passado, adquiriu os 47% restantes. Assim, também por causa da pandemia da Covid-19, que levou várias pessoas a usarem mais esse tipo de serviço, a entrega desse setor se tornou mais estratégica.

O segmento last-mile também motivou, durante o auge do isolamento para conter o avanço do coronavírus, o crescimento de aplicativos como Rappi e iFood, concorrentes do Uber Eats. O iFood, por exemplo, comprou o SiteMercado, em 2020. Há ainda o app colombiano Merqueo, concorrento do Rappi naquele país, que aportou em São Paulo em agosto de 2021.

Imagem de um corredor de supermercado.
A maioria dos usuários de aplicativos de entrega, cerca de 80%, pretendem manter as compras pelos apps após a pandemia da Covid-19. Crédito: Shutterstock

Em 2020, um levantamento da plataforma Hibou, que monitora consumo, mapeou hábitos de compra em plataformas de delivery. Foi observado que 51% dos usuários dos aplicativos como Uber Eats, iFood e Rappi, realizaram pela primeira vez pedidos em supermercados.

Entre essas pessoas, 17,7% desejavam manter a rotina de compras digitais, com 40% variando entre os aplicativos e as idades até os mercados presencialmente. E 25,6% acreditavam em voltar apenas a ir pessoalmente às lojas. No ano passado, a pesquisa foi atualizada e um número esmagador se viu, confirmando a estratégia do Uber Eats de focar no segmento: 80,2% dos usuários pretendem manter o delivery como forma de fazer feira.

Via: Forbes