Previous
Next
Previous
Next

Usuários podem pagar passagem de trem e metrô com QR Code

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Pagar a passagem com QR Code está mais próximo de se tornar uma realidade. Na última sexta-feira (11), o governo estadual de São Paulo lançou uma nova modalidade de bilhete para embarque em estações de trens e metrô. Trata-se de uma alternativa digital que, com a leitura de um QR Code, permite que os passageiros peguem o transporte.

O novo bilhete digital promete, além de rapidez e comodidade, mais segurança para os passageiros, já que, ao entrarem nas estações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) ou metrô, o embarque pode ser feito sem contato físico ou manuseio de cédulas de dinheiro.

Isso porque, ao comprarem o bilhete online – que pode ser pago por cartão de débito e crédito por meio do aplicativo TOP, disponível para Android e iOS -, basta aproximar a tela do celular do sensor presente em catracas sinalizadas e preparadas para a tecnologia.

Usando o app, os usuários podem comprar até dez bilhetes por dia, que custam R$ 4,40 cada. As compras de passagem com QR Code ficam disponíveis dentro da interface do aplicativo para quando o usuário precisar. Vale lembrar que não há prazo de expiração para a versão digital do bilhete.

Para quem não tem ou não quer utilizar o TOP, em breve haverá a possibilidade de comprar o bilhete digital diretamente na estação. No entanto, ao contrário da versão do app, um bilhete com o código é impresso para ser usado diretamente no leitor da catraca.

Nesse caso, apesar de também não ter um prazo de validade, é recomendado que a utilização da passagem com QR Code seja feita em até 72 horas. Isso porque alguns danos de impressão no código de barras podem ocorrer. Além disso, os usuários não devem dobrá-lo, rasgá-lo ou molhá-lo – isso pode causar problemas de leitura.

Durante esse período inicial, funcionários estarão identificados e prontos para ajudar pessoas que têm dúvidas sobre como utilizar a tecnologia, seja por meio impresso ou digital, dentro das estações.

Via: Agência Brasil