Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next

Enquete: 63% não sabem fazer currículo; veja passo a passo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

O Brasil tem atualmente mais de 12 milhões de desempregados. Com tanta gente precisando de emprego, é importante ficar atento na hora de buscá-lo. Uma das ferramentas mais importantes para isso é o currículo, que serve como “vitrine” do candidato. Mas será que você sabe como produzir um?

Portal Correio então lançou uma enquete perguntando se os internautas sabem como preparar um bom currículo para conseguir vaga de emprego. A maioria (63% dos votos) afirmou não saber. O número corresponde a 283 dos 447 votos. Já 164 (37%) afirmaram que sim, sabem preparar.

Como fazer?

Todo profissional deve conhecer o mínimo da cultura da empresa em que deseja se candidatar. Isso diz relação ao propósito, missão, visão e os valores da organização, hoje facilmente acessíveis através dos portais corporativos. É como orienta a psicóloga organizacional Tatiana da Costa, que também atua em Recursos Humanos.

Além dessa cultura, segundo ela, é de suma importância que o candidato busque informações sobre como a área em que pretende atuar colabora para que os resultados sejam alcançados. “Um currículo bem elaborado dará luz ao recrutador sobre aquilo que busca. Ou seja, as competências necessárias para desempenho do cargo e suas entregas. E como saber se está atraente? Pois bem, conheça o mínimo da empresa”, pontuou.

Veja as dicas:

• Início: Mantenha de forma visível, além de seu nome completo, a cidade e bairro em que reside, pois algumas empresas têm a prática de recrutar no entorno, devido a políticas internas, ou podem estar buscando profissionais na mesma cidade. O número de seu telefone precisa estar correto e atualizado. Sobre isso, inclua dois números para facilitar sua localização.

• Sobre CNH: Possuir veículo e disponibilidade para viagens fazem parte da realidade de algumas atividades profissionais. Então cite se esse for o caso.

• Redes sociais: No que diz respeito às redes sociais, inclua apenas as profissionais como exemplo o LinkedIn ou páginas de seus projetos, se possuir.

“Essa recomendação não significa que você estará omitindo sua rede pessoal para empresa quanto candidato. Apenas que as informações pertinentes ao tipo de relação mantida estarão disponíveis naquelas que você está citando em currículo”, explicou Tatiana.

• Escolaridade: Inclua informações sobre sua escolaridade e formações adicionais como especializações, por exemplo. Nesses quesitos, é importante o status (concluído ou em andamento). Caso estejam em andamento, inclua a previsão de término.

• Experiências: Nas experiências profissionais, é interessante que, de modo muito organizado, inclua a empresa e cargos assumidos. Mas, além disso, o período (mês e ano).

“Isso porque a maioria das empresas precisam atender requisitos mínimos do plano de cargos ou de clientes, por exemplo. Resumir as principais atividades pode favorecer a escolha de seu currículo, pois facilita ao recrutador entender melhor sua vivência, considerando que ‘de empresa para empresa’, cargos com nomenclaturas similares nem sempre possuem as mesmas atividades”, orientou a psicóloga, que ainda enfatizou que os dados precisam estar claros, objetivos e assertivos.

Tatiana ainda pede que mencione os sistemas que utilizou como dica. A depender da área de atuação, a habilidade em determinados sistemas pode ser a porta de entrada.

• Conhecimentos e idiomas: Cite os pertinentes a sua atuação e seu nível de domínio. Como exemplo, temos os cursos obrigatórios regulados por normas exigidos para algumas profissões. Sobre esses, é interessante mencionar período e escola em que foi realizado. Os idiomas podem ser um diferencial caso a empresa em que vai ingressar seja uma multinacional ou esteja galgando expandir negócios. Torna a relevância de compreender a organização e os desafios dela.

• Foto: A inclusão da foto facilita para o próprio recrutador recordar a fisionomia de seus candidatos. Portanto, utilize do bom senso e opte por foto que promova sua imagem profissional, conforme área de atuação.

Tatiana esclareceu ainda que o modelo de currículo varia de acordo com cada empresa. “Como podemos ver, existem muitas particularidades inerentes ao modelo da empresa, que podem se agradar por currículos tradicionais e outras por modelos inovadores que se assemelham a infográficos. Vale comentar que diante de tantas influências e estímulos, é comum que as áreas de RH recebam modelos diversos de documentos, cabendo a esses especialistas antes de qualquer coisa, compreender a adversidade atual e explorar o lado bom que isso revela”.

Como candidato, a especialista orientou a ser, de forma geral, flexível, mantendo os currículos nos formatos possíveis aos seus objetivos. “Tenha foco. Conheça a empresa na qual deseja atuar. Esteja atento aos detalhes dos requisitos solicitados nas vagas divulgadas pelas áreas de RH, pois podem ser seu diferencial e por isso merecem ser destacados”.

Portal Correio