Previous
Next
Previous
Next

Servidores da Fundac de Mangabeira, realizam paralisação nesta terça-feira, veja o motivo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Todos os servidores e servidoras da Fundac do quadro efetivo do Estado da Paraíba paralisam suas atividades nesta terça-feira(15) por 24 horas num protesto. Eles alegam falta de resposta do Governo do Estado às suas reivindicações.

A paralisação de advertência foi deliberada em assembleia geral da categoria, que inclui agora, também, os recém- agentes socioeducativos concursados, apossados e contratados, convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores da Fundac-Sintac, realizada no dia 1º de junho .

De acordo com o presidente do Sintac, Márcio Phillippe, o objetivo desse protesto de advertência é uma forma de sensibilizar as autoridades competentes para o atendimento da pauta de reivindicações dos trabalhadores já entregue há algum tempo à nova presidente da Fundac, Waleska Ramalho. “Não estamos exigindo nada demais, apenas o urgente, o óbvio, como oferta da vacina aos profissionais da linha de frente da socioeducação, que , inclusive estão incluídos no Plano Nacional de Vacinação, por ser esse serviço considerado essencial, mas que aqui para nós não chegou; audiência com o governador para saber a quanto anda a tramitação da revisão do nosso PCCR, que desde 2019 que foi dado entrada; aumento da vale-alimentação para R$ 440 reais, já que não temos reajuste há muitos anos, melhoria nas condições de trabalho e fiscalização contra os protocolos sanitários com vistas à prevenção da covid-19, implantação do incentivo funcional para os servidores que ainda não estão recebendo, com os respectivos retroativos, além da correção da gratificação do incentivo de 30% sobre a remuneração e mais algumas reivindicações específicas e importantes dos agentes,” explicou.

Ele acrescentou que o Sintac e a categoria estão abertos à negociação, mas já aprovou na mesma assembleia geral deflagrar greve por tempo indeterminado a partir do dia 21 deste mês. “Não temos mais como esperar, a situação dos servidores da Fundac que estão trabalhando nas unidades socioeducativas de todo o Estado exige urgência e um olhar diferenciado do Governo do Estado, desabafou o presidente do Sintac.

A paralisação de advertência atingirá as unidades socioeducativas de João Pessoa (CEA, CSE e CEJ), Campina Grande (Lar do Garoto) e Sousa (CEA).

 

wscom