Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next
Previous
Next

Shoppings criticam PMJP por não estender horários do comércio no Natal e falam em demissões

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Os shoppings Manaíra e Mangabeira Shopping divulgaram nota no fim da tarde desta segunda-feira (7) em apoio a manifestação da CDL (Câmara de Dirigentes Logistas) de João Pessoa contra o veto da Prefeitura da Capital ao alongamento dos horários do funcionamento do comércio no período de festas natalinas.

No documento, os empreendimentos alertam que, por conta da promessa da Prefeitura em expandir os horários, o setor chegou a contratar mais colaboradores mas agora, com a mudança do combinado, não terá outra saída a não ser fazer demissões.

Na nota, os shoppings endossam o pleito da entidade de que “as decisões da Prefeitura tenham coerência e sejam pautadas em critérios técnicos, em consonância com os números oficiais sobre a pandemia”. Na nota, a direção dos shoppings lembram que o comércio reabriu suas portas no dia 13 julho deste ano e nos meses seguintes de agosto, setembro e outubro, conforme estatísticas, houve uma queda no número de contaminações por covid-19.

Ainda segundo a nota, “esses números começaram a crescer por conta de aglomerações durante as campanhas eleitorais e, nesse caso, não se pode atribuir o crescimento ao funcionamento do comércio”.

Veja a nota na íntegra

O Manaíra e o Mangabeira Shopping apoiam a manifestação da CDL a respeito do veto da Prefeitura de João Pessoa ao horário alongado de funcionamento do comércio no período de festas e endossa o pleito da entidade de que as decisões da administração municipal tenham coerência e sejam pautadas em critérios técnicos, em consonância com os números oficiais sobre a pandemia.

Como bem registrou a CDL, que vem acompanhando a evolução da pandemia na capital paraibana, o comércio reabriu em 13 de julho deste ano, tendo os números de contaminação caído nos meses seguintes de agosto, setembro e outubro, voltando a crescer somente em novembro último em razão das aglomerações decorrentes das campanhas eleitorais e, mesmo assim, mantendo-se menores do que aqueles existentes em julho do ano em curso. Não se pode, portanto, atribuir qualquer aumento de casos ao comércio ou aos shoppings.

“O que se constata é que a doença está controlada na Grande João Pessoa, bem como que o rigoroso protocolo de segurança sanitária implantado em todos os segmentos do comércio se mostrara suficientemente seguro para consumidores, empregados e empresários”, concluiu adequadamente a CDL.

Em reunião realizada em 26 de outubro, o próprio prefeito Luciano Cartaxo informou que o comércio da cidade e os shoppings poderiam voltar a funcionar normalmente, em mais um passo da gradual flexibilização dos protocolos da pandemia.

Na ocasião, a CDL solicitou expressamente que, para além da autorização do horário normal das 22h, fosse autorizado o funcionamento em horário excepcional, como sempre ocorre em dias como sábados e feriados, e, em razão do Natal, até meia noite em seis dias de dezembro. Isso foi plenamente autorizado e combinado com o prefeito na reunião.

Após a reunião, houve a edição de um decreto que tratava apenas do horário das 22h. Isso não foi contestado porque o prefeito, expressamente, havia autorizado no encontro com os dirigentes lojistas os horários do Natal e a entidade, com isso, decidiu aguardar essa normatização no momento em que o prefeito entendesse adequado.

Em sua manifestação, o CDL registra que a partir de junho o prefeito vinha sendo “solícito, atencioso e disposto a equacionar as necessárias medidas de enfrentamento sanitário do vírus da Covid-19, com a manutenção de postos de trabalho e de estabelecimentos comerciais”. “Todavia, essa predisposição durou até o primeiro turno das eleições municipais de 2020, quando o diálogo tornou a ser dificultoso”, completa a CDL.

Após o silêncio da prefeitura e a cobrança da CDL sobre a normatização dos horários de fim de ano, todos os comerciantes da cidade foram agora surpreendidos com o veto da Secretaria Municipal de Saúde.

Desde a reunião com o prefeito não houve qualquer outra tratativa com os comerciantes ou justificativa por parte da prefeitura em relação aos horários. Assim, a abertura das lojas até meia noite durante seis dias de dezembro nada mais é do que o cumprimento do que foi acordado pessoalmente pelo prefeito. E, em razão disso, o setor se planejou para seguir o combinado, inclusive contratou colaboradores para trabalhar nestes horários e que agora terão de ser demitidos antes mesmo do Natal, se for mantido o veto ao horário da meia noite.

A abertura em horário alongado é importante para o comércio e para o consumidor, pois, além de empregos, gera receitas para o Estado. É também uma forma de levar mais segurança a todos e evitar aglomerações.

Vetar o modelo de funcionamento previamente acordado com o setor servirá apenas para levar transtornos, insegurança e desconforto em um Natal de um ano marcado por dificuldades para todos. Por isso, o Manaíra e o Mangabeira Shopping esperam que a decisão seja revista e a palavra do prefeito cumprida.

Assessoria